Outras Formações

Nesta área poderá encontrar informação detalhada sobre workshops e seminários oferecidos aos docentes da U.Porto. Esta oferta formativa pode ainda ser alargada a docentes de outras Universidades (UBI, UM, UC, UL, UMINHO, UNL, UTAD e ISCTE-IUL) e Politécnicos Nacionais (IPP, IPL e IPC), no âmbito do “Projeto Sucesso Académico”.

No final de cada formação, organizada pelo Gabinete de Inovação Pedagógica e Desporto da U.Porto, os formandos receberão um certificado de participação e para facilitar a sua indexação curricular, mediante autorização prévia, a formação será registada na área de Formandos.

Agendadas

No âmbito da missão do Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. com vista à promoção dos direitos das pessoas com deficiência, vão realizar-se no Porto, no próximo dia 10 de julho, em colaboração com a  Faculdade de Letras da Universidade do Porto,  as seguintes  ações de sensibilização:

Acolher melhor Pessoas com Deficiência: uma questão de direitos
Sala 301 ( piso 3 FLUP) – 10h00/17h00 – Inscrição até dia 6 de julho  neste  formulário

Perturbações do desenvolvimento no espectro do autismo
Sala 303 ( piso 3 FLUP)- 10h00/17h00 – Inscrição até dia 6 de julho neste formulário

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com deficiência – art.º5º Igualdade e não discriminação: medidas e procedimentos (conhecer para exercer cidadania)
Sala 208 ( piso 2 FLUP) – 10h00/17h00- Inscrição até dia 6 de julho neste formulário


Formação na Universidade do Minho – Cursos IDEA de Junho/Julho 2018

Inscrições em aberto.

Consultar o programa : https://idea.uminho.pt/pt/desenvolvimento-formacao/Paginas/calendario.aspx

Docentes da U.Porto que pretendam frequentar os cursos podem inscrever-se através do e-mail sec-lgveiga@reitoria.uminho​.pt.

 

Realizadas
FORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO DOUTORAL
Formação na Orientação Doutoral

O SGroup (European Universities Network) está a organizar um workshop a decorrer na U.Porto dedicado à Formação na Orientação Doutoral. Este workshop decorre nas instalações da FEUP de 25 a 27 de junho e inclui um curso durante os dias 26 e 27 que terá 25 vagas destinadas a docentes da U.Porto (para além de 5 destinadas a Universidades Associadas ao SGroup).

Para mais informações e inscrições: http://sgroup.be/news/ws-doctoral-supervision-25-27-june

[_/su_spoiler]
PROGRESS TEST: INTEGRATING ASSESSMENT, FEEDBACK AND LEARNING

February 23rd, 2018
ICVS/EM-UMinho

Scope

The goal of progress testing is to capture student progress mostly for feedback and benchmark purposes. “Progress Tests“ are tests that are developed and applied externally to curricular units, to understand what students are learning along their studies in higher education. The same tests are taken at the same time, 3 to 4 times every year, by all students of a given higher education degree. Progress test scores allow comparisons between students in different moments of learning. One of the best examples for the use of progress tests is taking place in Holland for more than fifteen years, in which most medical schools are using the same tests to understand the outcomes of their educational programs (1). This introductory course to progress testing introduces the concept and the processes of developing, managing and scoring progress tests.

“Progress Tests“ draw on a common question bank to assess all students in a program against intended graduation outcomes. As they require investment of developing and administering tests, it is important that we offer opportunities to reduce the cost and yet follow students’ knowledge growth over time in a valid and reliable way. Though widely used, the science behind writing items and assessing students’ knowledge in a trustworthy way may be difficult to master. It requires careful planning and preparation, and thoughtful reflective attention to multiple details. The goals of this workshop are to introduce the Progress test, the dos and don’ts and the alignment between test, feedback and learning outcomes.

(1) Tio, R. A., Schutte, B., Meiboom, A. A., Greidanus, J., Dubois, E. A., & Bremers, A. J. (2016). The progress test of medicine: the Dutch experience. Perspectives on medical education, 5(1), 51-55.

Programme and topics

  1. Welcome and introductions (15 min)
  2. Progress test: principles, purpose and the Dutch experience (45 min)
  3. Developing items for progress tests [small group activity] (30 min)
  4. Scoring and reporting progress test results (30 min)
  5. Researching progress tests: an international perspective (45 min)
  6. Final Remarks & Closure (15 min)

 Registrations and more information:

www.med.uminho.pt/en/post-graduation/courses/progress-test

[_/su_spoiler]
Programa de Formações IDEA-UMinho para docentes | OUT/NOV 2017

Programa de Formações IDEA-UMinho para docentes

Outubro e Novembro 2017

Programa de Formações IDEA-UMinho para docentes: desenvolver o ensino e a aprendizagem

O Centro IDEA-UMinho irá promover de 16 de outubro a 30 de novembro de 2017 um programa de formações para docentes da Universidade do Minho.

A docência no Ensino Superior implica conhecimentos e competências inerentes aos processos de ensino/aprendizagem, presencial ou a distância, que estão para além dos conhecimentos disciplinares. As Formações IDEA-UMinho focarão aspetos transversais à docência no ensino superior, cobrindo um largo espectro de temas e competências. Haverá ainda formações de cariz marcadamente prático para permitir aos participantes desenvolver recursos e abordagens que possam aplicar nos contextos específicos das suas atividades.

A participação é aberta a todos os docentes da Universidade do Minho, mediante inscrição prévia online. As inscrições serão efetivadas por ordem de chegada.

DIA HORA TÍTULO
16 de outubro 14h30-17h30 O plágio e a fraude na Academia
18 de outubro 14h30-17h30 A contribuição da arte para o aprendizado da comunicação nas diversas profissões
24 de outubro 09h30-12h30 Intervenção em crise psicológica com estudantes do Ensino Superior
26 de outubro 14h30-17h30 Emoções, neurociência e envolvimento dos estudantes no processo de ensino-aprendizagem
28 de outubro 15h00-19h00 Virtuous Leadership Transforming Education
31 de outubro 14h30-17h15 Workshop prático de construção de Perguntas de Escolha Múltipla para testar objetivos de maior complexidade
3 de novembro 09h30-13h00
14h30-18h00
Saber socorrer – 2ª Edição
9 de novembro 14h30-17h30 Ergonomia Visual
29 de novembro 14h30-17h30 Bases do trabalho vocal
30 de novembro 14h30-17h30 Protocolo Académico

Mais informações: https://idea.uminho.pt/pt 

A participação em Formações IDEA-UMinho será reconhecida através de um certificado. Participe nas sessões e envie ideias e sugestões para programas futuros, para idea@reitoria.uminho.pt.
__________________________________________
Gabinete de Comunicação, Informação e Imagem
Universidade do Minho    Site: www.uminho.pt
Tel.: (+351) 253601128 /25 /09
Email: gcii@reitoria.uminho.pt 

[_/su_spoiler]
U.PORTO: QUE ESTRATÉGIAS PARA A FORMAÇÃO NO 3º CICLO? | 15 SET 2017

“U.PORTO: QUE ESTRATÉGIAS PARA A FORMAÇÃO NO 3º CICLO?”

15 de setembro – 14h30/17h00 – Salão Nobre da Reitoria da U.Porto

“FORMAÇÃO DOUTORAL – A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA”

* PROGRAMA *

14h00 – Registo e receção dos participantes

14h30 – Sessão de Abertura
Pró-Reitor para a Inovação Pedagógica e Desporto da U.Porto – Fernando Remião

14h45 – Orador convidado

Patrícia Rosado Pinto, Pró- Reitora da Universidade Nova de Lisboa e Coordenadora da Escola Doutoral da NOVA – NOVA Doctoral School 

Resumo
Na sequência das diferentes recomendações internacionais que se seguiram ao Processo de Bolonha, a oferta de Programas de Doutoramento na Europa evoluiu, nos últimos anos, de um modelo centrado em atividades de investigação baseadas, quase exclusivamente, numa relação entre orientador e estudante, para um modelo mais ambicioso de formação global, no qual se procura, também, o desenvolvimento de competências transversais, compatíveis com a necessidade de evolução e de adaptação a um mercado mais lato, muitas vezes fora dos muros da academia.
Integrada no Plano Estratégico para 2012-2016, a NOVA criou a sua Escola Doutoral, visando contribuir para a promoção da qualidade, da interdisciplinaridade e da internacionalização dos programas doutorais de toda a universidade.
Sem interferir nos programas doutorais já instituídos nas várias Unidades Orgânicas (UO), a Escola Doutoral da NOVA oferece formação complementar e voluntária aos doutorandos e orientadores, reforçando a sua formação pessoal e profissional, através de programas de treino de competências transversais.

15h30 – Intervenções seguidas de debate
– Coordenador da Comissão para o Ensino, Qualidade e Avaliação do Conselho Geral da U.Porto – José Fernando Oliveira
– Diretora do Programa Doutoral em Ciências da Educação da FPCEUP – Isabel Menezes
– Coordenadora Científica do SANFEED (Sustainable Animal Nutrition and Feeding) – Programa Doutoral em Ciência Animal do ICBAS – Luisa Valente
– Vice-Diretor do Programa Doutoral em Medias Digitais (UP, UNL e UT Austin) – José Azevedo

16h45 – Encerramento Vice-Reitor para a Formação e Organização Académica da U.Porto –  Pedro Nuno Teixeira


Visualizar a Reportagem da TVU

Visualizar a apresentação (pdf)

Inquérito de satisfação e reflexão (preencher)

[_/su_spoiler]
Neurociências e Harvard: o que nos ensinam | 13 SET 2017

Neurociências e Harvard: o que nos ensinam

13 de setembro – 16h30 – Salão Nobre da Reitoria da U.Porto

* PROGRAMA *

16h30 – Abertura
Pró-Reitor para a Inovação Pedagógica e Desporto da U.Porto – Fernando Remião

16h45 – Orador convidado
João Cerqueira, doutorado em Neurociências e professor associado na Escola de Ciências da Saúde da U.Minho

Seminário 1: “Como aprendemos e como podemos ensinar melhor a aprender”

Nos últimos 30 anos produziram-se grandes avanços no domínio das neurociências. Nesta palestra, vamos explorar, de modo resumido, de que modo a compreensão dos mecanismos biológicos subjacentes à aprendizagem e aquisição de conhecimentos e competências, desde alterações moleculares até rearranjos nos circuitos cerebrais, pode explicar a eficácia de algumas metodologias de ensino (e não de outras) e nos pode ajudar a desenhar novas e mais eficientes estratégias para promover a aprendizagem.

João Cerqueira, licenciou-se em Medicina na Faculdade de Medicina do Porto e obteve o doutoramento em Neurociências pela Escola de Medicina do Minho, sob orientação do professor Nuno Sousa. É docente da Escola de Medicina do Minho desde o seu início, tendo participado ativamente no seu desenho curricular e na implementação continuada das mais eficientes estratégias de ensino/aprendizagem/inovação. Além da educação médica, os seus interesses de investigação exploram o modo como a prática, o stress e o envelhecimento podem modular as funções cognitivas. É autor de mais de seis dezenas de artigos publicados em revistas nacionais e internacionais e investigador principal de diversos projetos de investigação e ensaios clínicos. Atualmente é professor associado de anatomia e neurologia na Escola de Medicina do Minho. Paralelamente, é neurologista e, desde 2009, responsável pela consulta de esclerose múltipla no hospital de Braga.

17h20 – Orador convidado
Ana Rita Mota, professora assistente (coordenadora) na Universidade de Harvard em 2015/16

Seminário 2: “Ensinar Física sem exames e sem aulas expositivas: a experiência da Universidade de Harvard”

Um dos maiores desafios para um professor é conseguir que os alunos estejam mentalmente ativos durante as suas aulas. Estudos internacionais revelam que este processo é facilitado quando o professor proporciona tarefas alternadas e sistemáticas, em ambiente colaborativo. Na metodologia Team & Project-based Approach (T&PBA), desenvolvida e implementada por Eric Mazur na Universidade de Harvard, o ambiente de aprendizagem consiste em seis atividades diversificadas (atividades de estimativa, tutoriais, problemas conceptuais, atividades experimentais…), totalmente colaborativas (Peer Instruction) e segundo o modelo de aulas invertidas (Flipped Classrooms). Neste ambiente há breves momentos de discussão por parte do professor e não existe exame final, apesar dos alunos serem continuamente avaliados e receberem feedback constante. Esta metodologia tem vindo a ganhar expressão em todo o mundo, tendo sido já adotada em vários países, em Universidades de referência, e em diferentes áreas. Nesta palestra, vai ser apresentado e discutido o modelo T&PBA, bem como as tecnologias educativas que facilitam a sua implementação: Learning Catalytics e Perusall.

Ana Rita Mota, licenciou-se em Ensino de Física e Química na Universidade de Aveiro e obteve o doutoramento em Física na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, sob orientação do professor João Lopes dos Santos. Em 2015/2016 integrou, na Universidade de Harvard,o grupo de investigação de Eric Mazur. Foi sua professora assistente (coordenadora) no curso Applied Physics, conhecido pela metodologia Team & Project-based approach. Em Harvard, foi também professora assistente (coordenadora) do físico David Keith. É autora de artigos publicados em revistas nacionais e internacionais e tem como principal interesse de investigação as áreas de ensino colaborativo, avaliação e metacognição. Atualmente é investigadora pós-doc no Departamento de Física e Astronomia da FCUP. Paralelamente, e desde 2005, leciona no ensino básico e secundário.

17h50 – Mesa redonda
Vice-Reitor para a Formação e Organização Académica da U.Porto – Pedro Nuno Teixeira
Ana Rita Mota, Professora Assistente (coordenadora) na Universidade de Harvard em 2015/16
João Cerqueira, Professor Associado na Escola de Medicina da Universidade do Minho

18h30 – Encerramento
Vice-Reitor para a Formação e Organização Académica da U.Porto – Pedro Nuno Teixeira


PDF Slides: João Cerqueira e Ana Rita Mota
Noticias na U.Porto
Fotos do Seminário
[_/su_spoiler]

Facilitating Collaborative Learning Through Open and Distance Learning | 22 JUN 2017

Facilitating Collaborative Learning Through Open and Distance Learning

22 de junho – 14h30 – Auditório Ruy Luís Gomes da Reitoria da U.Porto

Visualizar aqui o Seminário
[_/su_spoiler]

Como aprendemos e como podemos ajudar a aprender: uma abordagem muito prática para professores | 8 JUN 2017

“Como aprendemos e como podemos ajudar a aprender: uma abordagem muito prática para professores”

8 de junho – 9h00 » 17h45 – Escola de Medicina da UMinho (EMed)

A primeira formação do IDEA-UMinho “Como aprendemos e como podemos ajudar a aprender: uma abordagem muito prática para professores” ministrada por cinco docentes da EMed vai explicar de que modo podemos utilizar o conhecimento das neurociências para promover a aprendizagem e o raciocínio dos alunos.

O IDEA-UMinho – Centro de Inovação e Desenvolvimento do Ensino e da Aprendizagem da Universidade do Minho é apresentado a 7 de junho, às 10h00, no auditório B2 (Complexo Pedagógico II) do campus de Gualtar, em Braga (mais informações aqui).
[_/su_spoiler]

Sessão de abertura da Semana Académica de Formação Pedagógica - Keynote de Dilly Fung | 8 MAI 2017

Sessão de abertura da Semana Académica de Formação Pedagógica – Keynote de Dilly Fung

8 de maio 2017 – Salão Nobre da Reitoria da U.Porto

* PROGRAMA *

9h00 – Abertura do secretariado

9h30 – Sessão de abertura
Pedro Nuno Teixeira, Vice-Reitor da U.Porto para a Formação e Organização Académica
Fernando Remião, Pró-Reitor da U.Porto para a Inovação Pedagógica e Desporto

10h00 – Keynote

Dilly Fung – Professor of Higher Education Development, University College London (Biography)

“EXCELLENT EDUCATION IN RESEARCH-RICH UNIVERSITIES: NEW DIRECTIONS?”

Abstract
What is distinctive about student education in research-intensive universities? How can we make student education even more engaging and effective in and for our changing world? This session will address these questions, and explore emerging possibilities for practice at the University of Porto. We will consider how, both within and across disciplines, students on taught degree programmes can benefit from even richer engagement with expertise drawn from research and with cutting-edge practice.

Themes include developing a more ‘Connected Curriculum’, which maximises students’ engagement with researchers and research (Fung in press); the benefits to students of learning through research and enquiry (Wieman and Gilbert 2015); and the possible contribution undergraduate students can make to research itself (Harland 2016). We will also look at some recent examples of changing practice in European research-intensive institutions (Fung, Besters-Dilger and van der Vaart 2017), and address some of the barriers to change. These include issues relating to the reward and recognition of those who commit themselves to leading on educational change (Fung and Gordon 2016).

Concluding with time for questions and comments, we will consider possible next steps for the University of Porto’s research and learning community.

References
Fung, Dilly. In press/2017. A Connected Curriculum for Higher Education. London: UCL Press.
Fung, Dilly., Besters-Dilger, Juliane & van der Vaart, Rob. 2017. ‘Excellent Education in Research-rich Universities.’ League of European Research Universities (LERU)http://www.leru.org/files/general/LERU%20Position%20Paper%20Excellent%20Education.pdf
Harland, Tony. 2016. ‘Teaching to enhance research.’ Higher Education Research & Development. 35 3:461-472.
Fung, Dilly and Claire Gordon. 2016. ‘Rewarding educators and education leaders in research-intensive universities.’ York: Higher Education Academy. https://www.heacademy.ac.uk/sites/default/files/rewarding_educators_and_education_leaders.pdf
Wieman, Carl and Gilbert, Sarah. 2015. ‘Taking a Scientific Approach to Science Education, Part I–Research and Part II—Changing Teaching.’ Microbe 10 4:152-156 and 10 5:203-207.

11h00 – Encerramento


Reportagem e entrevistas a Dilly Fung e a Fernando Remião (vídeo)
Dilly Fung – A Connected Curriculum for Higher Education apresentação pdf
vídeo parte 1 / vídeo parte 2
[_/su_spoiler]

De Par em Par na U.Porto | 15 FEV 2017

De Par em Par na U.Porto

Após um interregno de um semestre, que serviu para reequacionar objetivos e procedimentos, o “De Par em Par na U.Porto” está de volta.
Se, ao longo dos últimos anos o “De Par em Par na U.Porto” se tem afirmado como uma ação de formação e partilha pedagógica aceite pela comunidade académica da U.Porto, com resultados visíveis ao nível da consciência pedagógica e da unidade da Universidade, apostamos agora no aprofundamento destas finalidades.
Por isso, vamos propor como novidades neste semestre o recurso à observação de pares multidisciplinar como suporte de melhoria efetiva de uma  prática pedagógica, apreciada numa segunda observação, a realizar no âmbito da mesma turma/UC e do mesmo quarteto.
A segunda proposta nova que vamos fazer aos docentes é a de cooptar para o grupo de observadores um ou dois alunos, que possam ajudar os observadores a contextualizar a aula de modo mais realista.
Claro que tais propostas são de aceitação livre, cabendo a cada docente a decisão de as seguir.
Todavia, porque sabemos que existem, neste momento, muitos investigadores, seniores, de pós-doc, ou mesmo ainda a realizar os seus doutoramentos, a assegurar UC na U.Porto, pensamos ser de interesse incentivar esses docentes a participar no De Par em Par.

Mais informamos que a sessão de formação presencial está prevista para o dia 15 de fevereiro, às 14h30 no Auditório Ruy Luís Gomes da Reitoria da U. Porto, com os seguintes objetivos:

1) reunir os participantes num evento comum;

2) prestar informações sobre o funcionamento do programa nomeadamente sobre as novidades propostas;

3) organizar os quartetos e calendarizar as ações.

Mais informações sobre o DPEP estão disponíveis em http://www.dpep.pt
[_/su_spoiler]